* Em busca de Nessie, o monstrinho camarada



Em busca de Nessie, o monstrinho camarada

Meu avô jurava ser enorme dragão, que emergia das profundezas das águas, em noite de névoa e lua cheia, com longa língua incandescente. Mistério...

Desde pequena encantava-me ouvir histórias sobre o Lago Ness e sobre um monstro que aparecia de quando em vez.
A fantasia corria solta, mesmo sem noção de onde ficava o lago e da forma do monstro. Meu avô jurava ser enorme dragão, que emergia das profundezas das águas, em noite de névoa e lua cheia, com longa língua incandescente. Mistério...
Ultrapassava séculos, sem morrer, desde 556. Sob a água. Um dragão-peixe?
Herdando a linhagem fantasiosa, Diego e Lucas, meus netos, vivem às voltas com Tiranossauros, Brontossauros, e todas espécies de dinossauros, além de estranhos seres terráqueos, estelares e aquáticos.
Pergunta-assertiva fatal, quando souberam da viagem à Escócia:
- Claro que vais ao Lago Ness ver o monstro, nééé? Ele é um Plesiossauro! (Esta gurizadinha está anos-luz à nossa frente, em informações).
Compromisso assumido, iniciou corrida a mapas, livros, internet, para localizar o bendito lago.
Lá estava ele, junto a Inverness, cidadezinha nas Terras Altas, ao norte da Escócia, a cerca de 300 km de Edimburgo e Glasgow. (Um dia a mais em Glasgow precisou ser planejado para a busca ao monstro.)
Uma hora de trem desde Edimburgo, até a “São Paulo escocesa”, febril centro comercial e industrial.
Mostra cara feia, chuvosa.E agora? Ir a Inverness com aquele tempo?
Quatro horas trilhando até lá.
Decisão adiada. Dramática decisão.
Impensável voltar ao Brasil e encarar os guris, vazia de histórias e de fotos.
Dia seguinte, caminhando pela molhada Glasgow, quem sorri de vitrinas e balcões de lojas? NESSIE!
Aquela coisinha verde, fofa, simpática, dragãozinho-dinossauro, de touca e manta escocesas é, então, o apavorante Monstro do Lago Ness?
Maquiavélica solução brilha ao apalpar um Nessie: comprar um bonequinho e camisetas com ele estampado, e ficar bem quietinha sobre a ida ao lago.
Afinal, chove tanto.Noite mal dormida, remorso batendo.
Às sete horas da manhã, o trem que sai da estação Queen St. leva mais dois passageiros...Recompensa!
A chuva para, o trajeto até Inverness, de muito verde, rios, lagos, fazendolas, montanhas (até neve cintila em picos, apesar da primavera) encanta.
O Lago Ness?
Um lago com cara, sim, de abrigar um monstro, quando coberto por névoa.
Longo e largo, cercado de vegetação, elevações, casas de veraneio, acompanha as margens da ferrovia, por uns 3 km.
Fui em busca de Nessie, o monstrinho camarada. Juro que o vi!
Lá do meio da água ergueu a cabecinha, sorriu, sacudiu a cauda escamada e gritou:
- Bem-vinda à Escócia!
P. S.: Trouxe Nessie, o bonequinho. Para mim!
Afinal, o Diego e o Lucas poderão, um dia, procurar a fantasia em meio às brumas de um lago...
Marisa Martins*
*cronista do "Jornal Cassino" de Rio Grande e de "O Informativo", de Lajeado.

4 comentários:

  1. Chica, que maravilha! Adorei desse outro blog! As crianacas vao adorar! Mil beijos! Octavio

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga uma gracinha este conto ! Boa escolha de postagem no blog. Bjs com gotinhas de poesias.

    ResponderExcluir
  3. Chica,que história!Uma grande aventura!Gostei muito!Bjs,

    ResponderExcluir
  4. Adorei amiga Chica! tem meu link-me agora em blog, add no sementinhas se desejar! bjssssssssssssssss

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥