Tetéia, a Serpente do Paraíso




TETÉIA: A SERPENTE DO PARAÍSO




Bem vindo ao paraíso! Aqui tudo é muito lindo.


As flores tem um perfume muito suave e a água é cristalina.


O clima é perfeito. Todos os animais vivem em harmonia.


Opa! Todos não! Quase todos! Afinal qual lugar é perfeito.


Em meio aos muitos animais que vivem no paraíso, se encontram duas serpentes: Tetéia e Teo.


Tetéia e Teo adoram comer maçãs. Ah! No paraíso existe uma grande plantação de macieiras.


Todas vermelhinhas suculentas. - Bom dia Teo! - Bom dia Tetéia!


Vamos fazer o nosso passeio matinal? E lá se foram as duas serpentes...


Mas durante o passeio alguma coisa chamou a atenção de Teo.


Seus olhos estavam paralisados.


- Teo, porque você está com esta cara de bobo? - Olhe Tetéia! Olhe! Olhe! Olhe!

- O que? Não estou vendo nada!


- Olhe! Aquela macieira! Em poucos segundos quem estava paralisada era Tetéia! Uma maçã!


Mas não era uma simples maçã, era a maçã mais bonita e vermelha que as duas serpentes já haviam visto no jardim.


Tetéia começou a pensar: “Está maçã tem que ser minha!”


- Teo vamos comer aquela maçã!


- Deixe para outro dia Tetéia! Vamos continuar o nosso passeio.


Durante todo o passeio Tetéia quase não conversou com Teo.


Seu único pensamento era aquela maçã vermelha e suculenta.


O dia passou. . . A noite chegou. . . E durante o sono Tetéia sonhou com aquela maçã.


No outro dia, lá se foram as duas serpentes fazerem seu tradicional passeio matinal.


Durante todo o percurso, Tetéia só pensava em comer sozinha aquela maçã.


Quando chegaram na macieira que ficava no meio do jardim, quem ficou com os olhos arregalados desta vez foi Tetéia.


- Nossa Tetéia, porque você está tão vermelhinha assim?


- Você ainda me pergunta Teo? Passei a noite toda pensando em comer aquela bendita maçã.


E agora ela sumiu!!!


- Foi eu quem pegou aquela maçã!


- Eu sabia! Você é ganancioso, quis a maçã só para você. Nem pensou em dividi-la comigo!


- Tetéia, como você é precipitada! Fui eu sim quem pegou a maçã, mas com o único objetivo de dar ela de presente para você!


Neste momento Tetéia até se retorceu de vergonha.


- Tetéia, o tempo passa e você não aprende a lição.


Uma vez você já mentiu e por pouco não foi expulsa do paraíso.


Agora você me julgou segundo seus critérios e opiniões.


Nem mesmo pediu uma explicação pra mim.


Tetéia dia-a-dia aprendia novas lições e naquele dia havia aprendido a primeiro a escutar uma pessoa antes de emitir qualquer opinião.


Pois a amizade verdadeira acontece através da escuta e do diálogo, e não do julgamento.


Tetéia ainda tinha muito o que aprender. . .


Flávio Sobreiro da Costa

*Flávio Sobreiro Aspirante do Colégio Internacional dos Terapeutas (Unipaz - Campinas), bacharel em Filosofia pela PUCCAMP e Teólogo pela Faculdade Católica de Pouso Alegre - MG.Contato: flaviosobreiro@yahoo.com.br

2 comentários:

  1. Chica,maravilhosa lição de vida nesse conto infantil!Cada dia um post mais lindo que outro!Blog que adoro!Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa lição de vida e amizade! concordo com a Anne Um post mais lindo que outro, saudades mil de ti! bjs

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥