* Xuli, a perereca vaidosa...


Num pequeno brejo vive uma variedade de bichos.

Por lá os pássaros passeiam até alguns cavalos aproveitam para pastar ao redor.

Apesar de ser pequeno, os bichos vivem em harmonia.

Entre eles vive Xulí, uma perereca solitária.


Ela se sente às vezes um pouco triste.


À noite suas coleguinhas se aprontam para dar uma volta no brejo.

Para elas é uma festa.

Todas já são mocinhas como Xulí.

Pensam em se casar e um dia ter seus filhotes.

Com Xulí acontece o mesmo. Pena que é reservada e não se ambienta com as outras.

Não foi falta de tentar uma aproximação, mas ela é sempre rejeitada.

A turminha acha que Xulí é chata e se julga mais bonita que as outras.

Não é nada disso, se elas tentassem dar uma chance para a pobre Xulí veriam que estavam perdendo em ser amiga dessa meiga perereca.

Xulí é muito vaidosa.

Apesar de ser só, toda tarde se apronta para subir em uma enorme pedra.

De lá aprecia o passeio de toda turma.

Numa tarde bem bonita de primavera, tudo estava lindo. As flores desabrocharam ao redor do brejo em cores variadas.

Xulí colocou uma flor amarela na cabeça e foi apreciar a natureza lá de cima. Gostou tanto de ficar ali que não viu o tempo passar.

Sonhou acordada com os filhos que um dia poderia ter.

Quando voltou a realidade se sentiu triste, pois teria que voltar só.

Foi quando ouviu uma voz bem próxima:


-Quer uma ajuda? O que faz aqui uma mocinha tão bonita?


Xulí olhou assustada e viu um lindo e elegante sapo.


Era o Generis. Olhou e deu-lhe um enorme sorriso.


Aceitou sua companhia e por ali ficaram horas.

Depois então permitiu que o tão bom sapo lhe acompanhasse até sua casa.


Pelo caminho confessou que ficava horas a admira-la,na esperança de um dia vir a namorá-la.


Os dois se entenderam e daí por diante se encontravam naquela mesma pedra.


As pererecas que lá viviam sentiram inveja de Xulí.


Algumas delas até jogaram charme para o belo sapo, mas em vão.


Generis não deu a menor bola pois estava apaixonado.


Só tinha olhos para Xulí.


A bela perereca estava feliz e se sentia prestes a realizar seu sonho.


Algum tempo os dois se casaram. A festa foi linda e inesquecível.


Os dois mudaram para um lago maravilhoso!


Lindo, cheio de bichos e flores.


Para Xulí e Generis era só felicidade.


Hoje a família é grande, tiveram muitos filhotes que fazem a alegria dos pais.


Xulí e Generis vivem felizes e cercados de amigos.


Ela continua vaidosa como antes.


Na primavera acorda pela manhã, colhe uma flor e coloca em sua cabeça.


Generis faz elogios e fala que ela é a perereca mais bonita da lagoa.


Tereza Tavares


6 comentários:

  1. Olá Chica! Estou emocionada de ver a minha hitória em seu blog.
    Agradeço de coração. Ficou lindo...
    Lindo! Aradeço pelo apoio e estarei sempre a sua disposição.
    Um beijo e um excelente domingo.
    Tereza Tavares

    ResponderExcluir
  2. Bela história acabei de ler pra Yas...
    um forte abraço.

    ResponderExcluir
  3. Chica,que história legal!Parece realidade,pois infelizmente a felicidade causa inveja...Parabéns,muito lindo!Fico feliz que o Gui tenha gostado da minha poesia.Me inspirei no blog dele que sempre faz pratos diferentes!...rsss...Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Chica, já conhecia "Xuli" e adorei encontrá-la aqui. Com a imagem então, ficou um encanto! Parabéns pelo blog e pela deliciosa postagem.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. sa perereca, lindo, bjs e saudades

    ResponderExcluir
  6. Li para todas as minhas filhas e elas simplesmente AMARAM! Excelente história e muito didática!
    Bjos,
    Camila Amaral.

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥