* A CABRITINHA PERDIDA

A CABRITINHA PERDIDA


Era uma vez uma linda cabritinha branca que havia se perdido da cabra mãe ao se afastar do bando que saíra para pastar.

A jovem cabritinha pastava aqui, subia numa pedra ali, corria pra lá, corri pra cá e nessa brincadeira de comer e brincar, quando percebeu estava sozinha na campina.

Desesperada ela começou a berrar, mé, mé, mé. Méééé!!!!!!! E repetia incansavelmente seu berro desesperado correndo de um lado para o outro.

Não se passou muito tempo ouviram-se novos berros respondendo a filhotinha, era a cabra mãe que sentindo falta de sua cabrita e ouvindo seus berros aflitos correu em busca de sua cria perdida.

Em pouco tempo os berros foram se aproximando até mãe e filha se encontrarem e protagonizarem a mais bela cena do reina animal: Enquanto a mãe lambia sua cria, a cabritinha mamava ofegante e contente nas tetas da mãe.



Texto e imagem: Dalinha Catunda

Chegou JOSÉ

Não te percas dos teus pais
não faças como a cabritinha
porque é doloroso demais
ficar no mundo sozinha.

12 comentários:

  1. Tudo que se refere a animais me apaixona!
    Não consigo ficar longe de você!!!
    Vim matar as saudades!
    Vou ficar esperando a sua visita!!!
    Tenha uma ótima terça-feira!
    Bjkas, muitas!
    Sônia Silvino's Blogs
    Vários temas e um só coração!

    ResponderExcluir
  2. Não te percas dos teus pais
    não faças como a cabritinha
    porque é doloroso demais
    ficar no mundo sozinha.

    beijo
    José

    ResponderExcluir
  3. Amiga Chica: mais um linda poema a cabritinha adorei sabes quando era menino com seis e ste anos também guardei no monte ovelhas e cabras com cabritinhos e cabritinhas.
    Um beijo
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  4. Que linda histórinha, serve de lição, para as criancinhas.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  5. A minha filha mais velha era alégica a leite de vaca, então eu morava no interior e tinha muita facilidade de conseguir leite de cabras. Um dia, resolvi levá-la comifgo numas das casas onde eu commprava. Ela tinha cerca de dois anos e quando ouviu, mé, mé, mé.. ela me disse: olha lá, pai, cachorro que mia! rsrs. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  6. Olá Chica!

    Que bom que a cabritinha encontrou a mãe... Não tem coisa pior do que ficarmos longe de quem amamos!!

    Beijão e até mais...

    http://www.historiaparacriancalerouviresonhar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Chica,teu blog está cada vez melhor.Parabéns.bjão

    ResponderExcluir
  8. Olá, tem selinho "proce" lá no Blog, bjos!

    ResponderExcluir
  9. Chica

    Venho deixar um beijinho e dizerque é bom chegar e ler contos de Magia...


    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Olá Chica,
    Amei ver minha história no sementinhas.
    Obrigada pelo carinho.
    Beijos,
    Dalinha

    ResponderExcluir
  11. Ai q fofura!

    Ainda bem que se encontraram... a gravidez tem me deixado tão sensível, que eu não suportaria outro final rsrsrs

    bj

    ResponderExcluir
  12. Lindooo Chica...Mais uma beleza de poema,como todos que vc escreve.Amei!E obrigada,muito obrigada por sempre me visitar.Beijoss Giselda

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥