♥ Conto infantil - A decisão dos peixes♥


O golfinho Papo de Anjo
resolveu reunir certo dia
com todos os peixes do oceano
pois uma decisão urgia.

Logo se juntaram em assembleia
para ouvir o peixe-mor,
assim era para a plateia
aquele golfinho-senhor.


Papo de Anjo então falou:
“Meus amigos e peixes queridos,
sabeis, por quem sou,
que vos quero destemidos
pelas águas destes mares,
felizes e bem nutridos
livres de todo o tipo de azares.



Mas ouvi a um humano
que nos querem liquidar,
um espécime insano
adormecer-nos-á para nos pescar.”


Logo se manifestou
toda aquela assembleia



e o tubarão Tó falou
perante esta plateia:

“Não podemos permitir,
precisamos de uma solução
e a quem nos quer consumir
que aprenda para sempre a lição.”





Os peixinhos mais pequenos
e a raia Boneca miúda
pareceram, de repente, menos,
encostados à baleia Bala graúda.

Tão temerosos estavam,
era tamanho o perigo,
que todos se juntavam
à procura de um abrigo.



E logo a baleia Bala, inchada,
fazendo, de repente, peito,
disse em menos de nada,
sabendo-se digna de respeito:

“Bastaria uma só golada
para a todos engolir,
mas ficaria enjoada
e outros voltariam a vir.

Por isso, não vamos lá assim,
temos de nos acalmar,
falar com eles, isso sim,
e uma decisão tomar!”





Mas a arrazoada Fafá faneca
logo ali interveio,
ela até era bem esperta
e de sua boca lhe veio:

“Não nos podem ouvir falar,
isso estragaria os planos,
querer-nos-iam apanhar
para mostrar a outros humanos.”

Todos concordaram prontamente.
A Fafá faneca tinha razão,
teria de haver uma maneira diferente
de lhes dar uma lição.





O golfinho Papo de Anjo,
que ia ouvindo as opiniões,
fez escutar ao oceano
as suas tomadas decisões:

“Vamo-nos de mortos fingir,
à superfície todos boiando,
vereis que se hão-de ir,
suas ideias abandonando.

Pensarão que algo de anormal
terá estas águas contagiado,
algo de estranho e infernal
terá os peixes matado.”

Logo todos concordaram
e de mortos se fingiram.
À superfície todos boiaram
e os humanos, assustados, fugiram.

Os peixes fizeram a festa,
comemorando a vitória.
Ainda não foi desta
que não ficaram para contar a história.

Célia Gil

20 comentários:

  1. Nossaaaaa ameiiiii, vou ler para a Nayara minha filhota, ela vai amar...bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Chica, fico muito feliz por ter gostado e ter publicado! É tão bom ver o trabalho reconhecido! Tenho andado cheia de reuniões e não tenho conseguido um tempinho para novas publicações. Bjs grandes

    ResponderExcluir
  3. Lindooo, belíssima postagem. Parabéns a você pela escolha e a autora pela criatividade!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Chica, eu adoreiiiiiii essa poesia, as mensagens que ela tráz...

    às vezes a gente tem que se "fingir de morto" também...rs

    Beijos para as duas!

    Su.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom a poesia. A Célia é muito criativa. Lemos eu e o João e amamos. Beijos de nós dois para as duas.

    ResponderExcluir
  6. Que assembléia mais fofa, adorei, a união faz a força! bjim

    ResponderExcluir
  7. Olá, Chica Querida!
    Obrigada pela visita!
    Estive bastante tempo afastada dos Blogs, inclusive o meu...rss
    Mas retorno e já adorei a narrativa dos Peixes e vidas marinhas...adoroooo tudo que se relacione ao mar.
    Adorei o nome da raia Boneca miúda...uma graça..Parabéns!, são esses momentos que me fazem acreditar sempre na educação, na leitura...Divino!
    Abraço Carinhoso,
    Sandra

    ResponderExcluir
  8. Chica. Boa lição para nós também. Por vezes, "nos fazer de mortos" é bom. Adorei. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. QUERIDA
    CHICA
    MUITO BOA A HISTORIA DOS PEIXINHOS.GOSTEI GOLFINHO PAPO DE ANJO. FINGIR DE MORTOS. MUITO BOM
    FELIZ QUARTA FEIRA
    UM BEIJINHO
    BRISA

    ResponderExcluir
  10. KKK...Um conto em poesia muito divertido da Celia!Eu adorei a ideia deles no final!Muito espertos!Tb adoro os textos dela,Chica!Bjs,

    ResponderExcluir
  11. Oi Chica,

    Que lindo e super criativo. Vou ler para meu garotinho e minha turminha amanhã.

    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  12. Chiquinha,
    adorei! E está tão bom este conto que parece um poema, a interação com os peixes está fantástica!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Oi Chica... Achei muito Maravilhosa essa história com tom poetico!

    Vim apreciar e desejar para ti um ótimo feriado de carnaval.
    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  14. AMIGA, VOCÊ JÁ PENSOU EM ENVIAR OS SEUS TEXTOS PARA O DIRETOR DA TV CULTURA CAO HAMBURGUER? EU PENSO QUE ELES SERIAM SELECIONADOS PARA TORNAREM-SE DESENHOS. ELES SÃO BÁRBAROS!!!!!! PARABÉNS. TENHA UM LINDO DIA.

    ResponderExcluir
  15. Lindo post!

    Adorei o blog, estou seguindo!
    beijos!
    shoesandtears.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Risos... Que bonitinhoesse conto.
    Bela escolha querida.A moça escreve lindamente.
    Um beijão Chica.

    ResponderExcluir
  17. Chica danada, você acredita que eu tenho que ler os seus post daqui para o meu caçula de 5 anos, e a filhota de 9 anos também fica na escuta, quando eles chegarem da escola, vou la ler "historinhas da Chica", como eles mesmo falam sabia...beijos querida...

    ResponderExcluir
  18. Todas as crianças deviam ter contato com este seu blog,por apresentar uma linda mensagem cultural.Abraço amigo.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir
  19. Chica

    Esta foi D+ da conta
    Nem é conto de pescador
    É seu um primor.

    bjs

    ResponderExcluir
  20. Gosto muito desse tipo de conto, parecido com as fábulas com seus ensinamentos no final. Muito legal, as vezes se fingir de mortos, nos salva até da prória morte! Oh tempos cruéis os atuais que fazem dos contos coisas tão reais. Beijinhos e parabén a autora e a vc querida pelo lindo conto. Amei. Vou contar na catequese.

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥