♥O ESPANTALHO QUE CANTA PARA O VENTO ♥




O ESPANTALHO QUE CANTA PARA O VENTO
Hull de La Fuente


Cantando sempre animado
para assustar passarinho,
numa forquilha apoiado,
mas canta entoadinho.


Araras e periquitos
Têm medo de aproximar,
Pois se o fizer ouvem gritos
É o espantalho a cantar.


O espantalho está ciente
De sua obrigação,
Por isso é exigente,
Não dorme em serviço não.


De longe se ouve a cantiga
Com o repetido refrão,
e o espantalho se obriga
a cantá-la à exaustão.


“Aqui passo dia e noite,
O vento é minha companhia,
Tolero bem seu açoite,
O vento é minha alegria.”


“Antiga é minha função,
Do homem eu defendo o pão”.


“Ele me leva o chapéu,
Mas depois o traz de volta,
Leva-me perto do céu,
Mas da minha mão não solta.”


“Antiga é minha função,
Do homem eu defendo o pão”.


E assim vai passando o tempo,
os dias se repetindo
e o Espantalho do Vento,
sua tarefa vai cumprindo.

Hull de La Fuente


Chegou a Ana Marly

Trapo

Ana Marly de Oliveira Jacobino


Horta musical bem interessante
Em meio à verdejante canteiro,
Num pé só num estreito mirante
Canta zoando pra Totô Limoeiro

Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.

Trapo, vestido dum espantalho
Barítono! Banguela? Baladeiro!
Desafina o dó M feito chocalho
No ouvido do pardal Palpiteiro

Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.

Vento, Ventania, Viola, Violeiro
Acompanham Trapo no seu berrante,
Quinteto faz a festa do cururueiro,
Sapo Montanha o cantor visitante

Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.


Chegou Edumnes
O espantalho que canta para o vento
Cantando chegou aqui
Para passarinho assustar
Só fingimento nele eu vi
Porque ele não saber cantar.

Araras e periquitos
Codornizes e arvelas
Alguns ainda pequenitos
Não acredito nelas.

Na sua obrigação se espantalho
Ciente delas falhou
Não deu conto de todo o trabalho
Mesma assim ainda ralhou!

Amigo, humilde tens que ser
Não te faças de refilão
Porque só tens a ganhar e nada a perder
Carinho e amizade em teu coração.

Essa tua antiga função
Estou de acordo contigo
Se não houver trigo
Não temos farinha para o pão.

Ele te levou o chapéu
Mas olha que chapéus há muitos amigo
Foi o vento que o levou para o céu
Mas deixou amizade contigo.

Assim me despeço com amizade
Satisfeito por suas tarefas ir cumprindo
Para poder dar continuidade
Aos dias que se vou repetindo.

25 comentários:

  1. Oi, Chica, minha querida amiga! Bom dia!

    Obrigado mais uma vez pelo carinho, pela atenção, pela solidariedade. Desejo e espero que tudo esteja muito bem aí com você, com o Kiko e com o Neno, esse seu netinho que vale ouro. Já fui lá no blog dele agradecer o poeminha maravilhoso que fez para mim.

    Vi esse espantalho e fiquei aqui me lembrando desses últimos dias que passei na roça. Meu irmão colocou um espantalho imenso na horta que plantou em torno da casa do sítio e os passarinhos estavam fazendo ele de pista de pouso.rsrs. Eu disse: mas você foi colocar um espantalho com um sorrisão na boca, os passarinhos pensaram que ele é um amigo. hahahaha!

    Abração, minha querida e um ótimo dia. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Chica!
    Que lindo espantalho e que texto delicioso de ler.
    Tenha um lindo dia e obrigada sempre por seu carinho...beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Querida Chica,

    Obrigada de coração por postar mais um dos meus textos. É uma honra colaborar com este espaço maravilhoso. O Sementinha é tudo de bom> Parabéns! Um grande abraço,
    Hull

    ResponderExcluir
  4. Chica, que fofa essa poesia... Sabe, eu adoro espantalhos, não consigo nunca vê-los como algo que espanta, mas sim, como algo que encanta...hehehe

    Tenho vontade de sair dançando com eles pelo meio da plantação...rs

    Um dia lindo pra ti, apesar do friooooo que eu sei que está por aí, mas bom pra um chocolate quente bem gostoso!!!

    Beijos pra ti pro Kiko e pro Neno! (Tadinho do Neno que deve ter ido para a escola congelando de frio!

    Su.

    ResponderExcluir
  5. Que linda história infantil . Vou indicar o blog à minha sobrinha . Deixo um beijo com carinho . Virei mais vezes

    ResponderExcluir
  6. Olá querida Chica
    Adicionei seu lindo site na minha lista. Acho que os colegas irão gostar!
    abraço

    ResponderExcluir
  7. Acho espantalho tão fofo. Será que espanta?

    Chica, tenha uma ótima tarde!

    Beijoooooooooo

    ResponderExcluir
  8. Chica! A poesia embeleza até espantalho! Linda! Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Chica, permita que eu faça uma interação com La Fuente... espero que gostem.

    Trapo_ Ana Marly de Oliveira Jacobino


    Horta musical bem interessante
    Em meio à verdejante canteiro,
    Num pé só num estreito mirante
    Canta zoando pra Totô Limoeiro

    Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.

    Trapo, vestido dum espantalho
    Barítono! Banguela? Baladeiro!
    Desafina o dó M feito chocalho
    No ouvido do pardal Palpiteiro

    Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.

    Vento, Ventania, Viola, Violeiro
    Acompanham Trapo no seu berrante,
    Quinteto faz a festa do cururueiro,
    Sapo Montanha o cantor visitante

    Zurim,zum, zum, zurim, zum, zu.

    ResponderExcluir
  10. Eta, é um resgate do passado.Um parente confeccionava bonecos (espantalhos) e pendurava numa estaca, no meio da roça, para espantar as aves que comiam o milho dele.E esta beleza de poesia retrata muito bem isto.
    Abração.

    ResponderExcluir
  11. Singelo e belo espentalho ao vento.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Chica... Como sempre estás de parabéns pela escolha da poesia. Amei!!!
    Beijos na alma

    ResponderExcluir
  13. Meu pai fazia espantalho com as roupas usadas e colocava sempre o nome de Trapo. Saudades de papai que me deixou a 11 meses. Obrigada por publicar a minha poesia, Chica.Um grande abraço poético desta CaipiraicabANA Marly de Oliveira Jacobino_ Carchára de fórfi, azára de barata, cúspero de grilo,3x5 é XV de Piracicaba!

    ResponderExcluir
  14. Meu pai fazia espantalho com as roupas usadas e colocava sempre o nome de Trapo. Saudades de papai que me deixou ha 11 meses. Obrigada por publicar a minha poesia, Chica.Um grande abraço poético desta CaipiraicabANA Marly de Oliveira Jacobino_ Carchára de fórfi, azára de barata, cúspero de grilo,3x5 é XV de Piracicaba!

    ResponderExcluir
  15. Que graça o espantalho da Hull! Eu amo as poesias infantis dela!Bjs,

    ResponderExcluir
  16. Oi Chica querida!
    Que bom estar de volta e receber o carinho de amigas tão especiais como vc!
    Passando para me atualizar e deixar um super beijo!!
    Adorooo espantalhos..rs*
    Bom restinho de semana para vc!

    ResponderExcluir
  17. Querida Chica,


    Este post está especialmente belo pra mim! Gostei imenso do tema e por chegar lembranças tão bonitas e singelas como o do espantalho. Obrigada por estas belas partilhas.


    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  18. Oi amiga, tem selinho pra você lá no blog, como vc foi o número 200 pode pegar todos. Bjinhus
    www.gustavoegaby.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. what beautiful thoughts/words!

    lovely poem, amiga.

    beijinhos!!

    ResponderExcluir
  20. Gosto de espantalhos.
    Como nasci no campo sempre vivi perto deles.
    Só mesmo tu para me relembrares coisas que estão escondidas na mente e que os anos nos fazem esquecer.
    Beijos
    Pinta

    ResponderExcluir
  21. Nesses versinhos tão singelo,
    da pra gente se sentir criança
    de novo..até o espantalho fica
    bem bjusss minha querida!!!

    ResponderExcluir
  22. Fantastico questo spaventapasseri!!
    felice serata a Te...ciao

    ResponderExcluir
  23. Adoro toda a felicidade e encanto que por aqui encontro.
    Fico pensando como é magnifica essa sua paixão pelas coisas para os mais novos,

    ResponderExcluir
  24. Chica, que linda poesia! Adoro espantalho,tinha um na horta do meu pai!!!
    Com carinho
    Pedro e Amara

    ResponderExcluir
  25. Chica, que bonita explicação: poesia é tudo que passa no coração. Bom, comigo funciona assim mesmo! Sou muito emotiva.

    BEIJOS

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥