♥O VAGALUME ADALBERTO ♥

Imagem daqui

O VAGALUME ADALBERTO

Dante Marcucci

Pode ir chegando mais perto,
Que agora eu vou contar
A historinha do Adalberto...
Com certeza vai gostar!

Nessas histórias capricho...
Tudo que eu conto é invenção!
Dou nome pra cada bicho,
Só pra não dar confusão...

Hoje eu falo é do Adalberto,
Um vagalume muito faceiro.
Eita bichinho mais esperto!
Nem sabe como era arteiro...

Era um bichinho cascudo,
Pretinho como um carvão,
Com um bigode cabeludo...
Mas nariz? ...tinha não!

Tinha uma luz de cada lado,
No meio do cabeção,
E um pescoço gozado,
Que estralava de montão!

Seis pernas bem fininhas,
Acho que só pra enfeitar...
Andava batendo as asinhas,
Só queria saber de voar...

Entrava pela janela,
Não me deixava dormir,
Com aquela luzinha, igual vela,
Só queria se divertir!

Logo ficou meu amigo,
Companheiro de leitura.
E ler é legal, eu te digo!
Mesmo numa noite escura...

De noite a mãe apagava
Toda luz e o lampião...
Só o Adalberto brilhava
No meio da escuridão!

Mas o vagalume gostava
De escutar uma historinha...
Vinha vindo, se encostando:
-“Da pra dar uma lidinha?”

Como é que eu ia dizer não?
Depois, eu também gostava...
Só que a iluminação,
Reginaldo é que arrumava!

Então eu pegava um livrinho
Com algum conto intrigante.
Logo chegava o bichinho,
Com sua lanterna radiante...

Pousava em cima da folha
Com sua luz iluminando...
-“Agora tá claro: Olha!
Vai lendo ai e contando...”

Ler o Reginaldo não sabia,
Porque não tinha estudado.
Mas escutava e sorria...
Já viu bicho formado?

Ia andando de vagarinho,
Em cada palavra parava...
Eu lia então direitinho
E o vagalume escutava...

Depois ia se movendo,
Iluminado a história...
Eu fazia que tava lendo,
Sabia tudo na memória!

Mas o Reginaldo ouvia,
prestava muita atenção...
Aos poucos ele aprendia,
Sem professor nem lição!

Ia aprendendo as letrinhas,
E a maneira de escrever...
Até umas palavrinhas
No fim já sabia ler...

Foi aprendendo calado,
Já lia tudo, na hora!
Eu já andava preocupado...
“Quando aprender, vai embora...”

Ai eu fico sozinho,
E com a luz apagada...
Se não tiver o bichinho,
É só dormir e mais nada!

Só que eu fui mais esperto,
Achei uma palavrinha...
Reginaldo chegou perto
E acendeu a sua luzinha...
Leu, mas não entendeu,

E então tive que ensinar...
É Isso ai que apareceu,
É como eu vou te chamar...”
Vou te chamar de PIRILAMPO!

Reginaldo não ficou contente...
-“ Até já sei o que é isto...
Mas se não for nome de gente...
Não leio mais, eu desisto!

16 comentários:

  1. Chica! Esse vagalume iluminou ainda mais a nossa manhã de sol! Beijo e ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia minha querida!
    Com toda essa iluminação o nosso domingo ficou brilhante.

    Abra a janela do seu coração...
    E deixe entrar por ela tudo de mais lindo...
    Amor, paz, amizade, carinho, ternura e solidariedade.
    Tudo que faça você extremamente feliz.
    Deus te deu a vida... e sua vida tem que ser vivida sempre plena de felicidade.
    Que o seu domingo seja mágico, recheado de intensos momentos de alegria e grande felicidade.
    Beijos no coração e muitos afagos na alma.
    Beijos com afeto e amizade
    Gracita

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Chiquinha, que esse vagalume ilumine mais ainda seu dia
    Gostei parabéns mais uma vez
    abraços
    Rita!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Chica poetisa

    Quantas qualidades você têm...
    Adorei a poesia do vaga-lume ou pirilampo, tanto faz, ele fez seu papel direitinho na poesia.
    Achei um mimo.
    Parabéns
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. M A R A V I L H O S A poesia!!
    Delícia demais de se ler, criatividade e humor junto...nota DEZ!

    Beijos de um delicioso domingo Chica querida.

    ResponderExcluir
  6. Que vaga-lume luminoso! Que singeleza de história-poema! O humor e a alegria, entrosaram-se muito bem no texto.
    Abração.

    ResponderExcluir
  7. º° ❤♫°
    Olá! Super fofa essa poesia... um encanto!
    Bom domingo!
    Boa semana!

    °º♡♡♫
    °º♡ Beijinhos do Brasil.
    º° ♡ ❤♫°

    ResponderExcluir
  8. Chica saudades dos vagalumes impregnando de luzinhas os quintais da minha meninice, então, fiz um singelo haikai.
    Haikai _Ana Marly de Oliveira Jacobino//
    risco de luz
    vagalume- pirilampo
    alegria dos jardins

    ResponderExcluir
  9. Ownn... mas que fofura!
    E o jeitinho mineiro? "Mas nariz? ...tinha não!"... rsrs. Amei!
    E que delícia esta estrofe:
    De noite a mãe apagava
    Toda luz e o lampião...
    Só o Adalberto brilhava
    No meio da escuridão!
    Lindo mesmo! ;)

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Chica, que poesia divertida e gostosa de se ler! Pedro adorou esse vagalume!
    Com carinho,
    Pedro

    ResponderExcluir
  12. Chica

    Lumiei-me de tanto encanto com esse vagalume.

    Bom final de domingo para você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Em Portugal, vagalume é pirilampo! Engraçado não é? Linda essa pequena fábula.
    Beijinho e uma doce semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  14. O Vagalume Adalberto
    É um bicho inventor
    Porque é muito esperto
    Não trabalho ao calor.

    Ele tem asas para voar
    Foi pousar numa flor
    Para outros bichos ensinar
    Se formou em doutor.

    Ele tem na sua escola
    Tudo be arrumado
    Para pendurar sua sacola
    Na parede cabide colocado.

    Reginaldo arrumador
    Lá aprendeu a ler
    Calado e respeitador
    Já sabe o seu nome escrever!

    Boa segunda-feira e um abraço
    apara você amiga Chica.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  15. Chica,divertida e criativa a poesia do Dante!Gosto das poesias infantis dele tb!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  16. Achei uma fofura essa estorinha!
    Que sua semana seja maravilhosa.
    Abração.

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥