♥ A PORQUINHA PRETA. ♥


Tunin





No Sítio do tio Zezinho,
Morava a porca Preta.
Ela conduzia os filhinhos,
Como se fossem maletas.

Três eram os porquinhos,
Da mamãe, com grande amor.
Bolinha, Gorduchinho e Magrinho,
Que cuidava com ardor.

Zelos exagerados,
Mamãe porca aplicava,
Aos filhotinhos amados,
Que tanto vigiava.

Os bichinhos foram crescendo,
Já querendo namorar.
E ela entristecendo,
Por não poder controlar.

O esperto jovem Bolinha,
Decidiu de casa voar,
Para viver sua vidinha,
Longe dali, noutro lugar.

A senhora porca quase morreu,
Com dor no coração,
Quando viu seu fedelho,
Tomar radical decisão.

Em busca de afirmação,
Gorduchinho e Magrinho o seguiram,
Obedecendo a intuição,
Deixaram a mamãe; partiram.

E a porquinha ficou só,
Lamentando a solidão.
Chorava de dá dó,
Procurando atenção.

Mas para o seu consolo,
Em oportuna ocasião,
Eles vinham a tiracolo,
Para festejar a união.

E a velha Preta percebeu,
Os exageros levados a fundo,
Porque filhos não são seus,
Mas cidadãos do mundo.

Tunin

* imagem google

14 comentários:

  1. Chica! Quantas mães solidárias à Dona Preta. Desapego difícil de ser praticado! Beijo!!

    ResponderExcluir
  2. Os porquinhos crescem rápido!!!
    Ainda bem que a Dona Preta não ficou mais triste!!!
    Adorei!!!
    Bjs do Neno

    ResponderExcluir
  3. Lindo e bem assim também filhote de gente.
    Mais beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Porca, tolinha! Os filhos são para o mundo! Parabéns Tunin, linda historinha. Abração, Chica!

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida Chica!!
    Nos faz pensar...
    Mamãe porquinha é só amor.
    Assim como nós.
    Beijos, linda semana pra nós.
    Lis

    ResponderExcluir
  6. Facto duro mas real. Os filhos foram-nso emprestados... como disse um dia o grande Saramago:
    "Filho é um ser que nos foi emprestado para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isso mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é expor-se a todo o tipo de dor, principalmente o da incerteza de agir corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo"...

    Beijo e uma doce semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei essa poesia do Tunin quando li em seu blog e foi bom demais ve-la por aqui tb!Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Uma beleza Tunin!!Belos peraltas...abçs pra você e Chica.

    ResponderExcluir
  9. Essa história precisa ser lida muuuuito mesmo! abração

    ResponderExcluir
  10. Que fofura.

    Eu AMO Porquinhos, eles tem inteligência de crianças humanas de 4 anos de idade.

    Eu que adorei sua visitinha, muito obrigada linda.

    ResponderExcluir
  11. Ai que ternura... adorei!!!
    Beijos
    Lita

    ResponderExcluir
  12. Como sempre uma graça de se ver
    Bjuss de uma bela tarde
    Rita!!

    ResponderExcluir
  13. Obrigado, Chica pelo seu carinho em publicar meus rabiscos.Obrigado, também,a todos aqueles que deixara suas valiosas impressões. Chica, meu computador deu defeito. Estou lendo direto. do celular.Acho péssimo escrever dele, por isso sou vou comentar quando minha máquina voltar do conserto.
    Abração e obrigado por tudo

    ResponderExcluir
  14. Muito linda poesia! Parabéns ao Tunin e a vc por compartilhar essas maravilhas! Beijos!

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥