♥A bicicleta do Zé... ♥







A bicicleta do Zé era muito diferente,
não dá nem pra acreditar!
Andava de trás pra frente,
não tinha como parar...

Tinha um selim de madeira,
quadrado de machucar.
Quando descia a ladeira,
não dava pra se sentar!

O cambio era bem gozado,
só duas marchas pra trocar.
Era todo atrapalhado,
não adiantava xingar!

A corrente dela escapava,
se pedalava mais forte.
Depois ela engarranchava,
só não quebrava por sorte...

Tinha pedal só dum lado
e a coroa não tinha dente.
Só um e tava quebrado,
não segurava a corrente!

Só na banguela ela andava,
se o cara perdia o gás.
Quanto mais se pedalava,
mais ela andava pra trás!

Uma roda era empenada,
e nem um raio ela tinha.
Outra roda era quadrada,
cantava feito galinha.

O guidão era um caninho,
de ferro de construção.
Naquele cano fininho,
não tinha lugar pra mão!

Se alguém estava passando,
Zé tocava a campainha.
Parecia estar tocando
numa lata de sardinha!

De verde tinham pintado,
com uma faixa amarela,
o quadro todo arranhado
da bicicleta magrela.

Parecia um periquito,
a bicicleta do Zé.
Falava muito esquisito
e se chamava Poisé!

Mas o Zé era um atleta
e andava pra todo lado.
Quem não tinha bicicleta,
pedia sempre emprestado.

Se o cara tinha coragem,
não tinha nenhum perigo.
E o Zé por camaradagem
emprestava pro seu amigo

O Zé tava satisfeito
com sua amiga, Poisé.
Quem não sabe andar direito,
é melhor seguir a pé!



13 comentários:

  1. Que bicicleta difícil de andar, é melhor andar a pé rs abraços

    ResponderExcluir
  2. Não dá para acreditar
    Como era a bicicleta do Zé
    Contente a pedalar
    Continuava com esperança e fé.

    Era uma bicicleta diferente
    Muito bem equipada
    Cumprimentava toda a gente
    O Zé quando passava.

    Um tanto atrapalhado
    A pedalar na sua bicicleta
    Tinha pedal só dum lado
    Mas ele gostava muito dela.

    Empenada tinha uma roda
    Ele a foi mandar endireitar
    Enquanto jogava à bola
    Sua bicicleta a desempenar.

    Boa segunda-feira e um abraço
    para você, amiga Chica.
    Eduardo.

    ResponderExcluir

  3. Pela estrada fora
    sigo em linha reta
    Quem é que não gosta
    De uma bicicleta?

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Que saudades eu estava desse cantinho tão gostoso...
    Muito bom voltar por aqui,
    Boa semana!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  5. Que singular essa bicicleta, muito diferente de todas as outras. Para o Zé será a melhor, a mais bonita, apesar da roda quadrada e da marcha trocada ;)

    Beijinho
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  6. KKK...Adorei a Poisé!...rss...bem criativa e divertida a poesia do Dante!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Muito legal e divertida essa bicicleta!
    Adorei!
    abração com carinho

    ResponderExcluir
  8. Chicamiga


    Estou muito preocupado porque nuca mais vieste à nossa Travessa. E penso que não deves ter recebido o meu imeile em que contava a minha estranha doença. De repente, em minha casa a Raquel foi dar comigo sem falar, sem ouvir, sem me mexer. Naturalmente aflita chamou uma ambulância e levou-me ao Hospital de Santa Maria onde estive ou melhor estivemos pois a minha Raquel esteve sempre junto de mim durante onze horas! Bom, resumindo e concluindo, ali fizeram-me todas as análises ao sangue e à urina, uma TAC, um electroencefalograma e etc. No final das onze horas, o médico deu-me alta, mas finalmente eles não descobriram qual a causa da maldita doença. Tenho de dizer-te que foi um pesadelo, foi o pior dia da minha vida!!!!!!

    Entretanto, e porque nunca mais voltaste à nossa Travessa não descobriste que eu iniciara uma nova secção: ORA AGORA, VIRA em que escrevo contos policiais, com muitos crimes e muito sexo. Creio que esta informação serve para te abrir o apetite e vás lá…

    Por outro lado está lá colocado um novo PASSATEMPO/CONCURSO que tem como sempre os prémios das folhinhas indianas com figuras pintadas que talvez já tenhas recebido algumas por teres sido a vencedora de um outro. Se quiseres concorrer… concorre. Muito obrigado

    Qjs

    Henrique

    ResponderExcluir
  9. Chica! Nessa bicicleta eu não ia querer andar!! Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Dante, meus parabéns pela sua bela inspiração. Você descreveu a PoiZé em versos com muito talento.
    Fiquei fã desse poeta.
    Um abração
    Manoel

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Chica, estou tentando novamente me firmar, agora vai ah se vai. Fiquei muito feliz com a poesia daquele que eu chamo de Mestre Dante, ficou uma delicia de se ler, muito boa mesmo, sabe amiga que o Dante é autor de um livro não editado que se intitula a Bicicleta Amarela que eu li através de arquivo que é muito bom, com certeza ele devia publicar, beijos e adorei a escolha Luooni

    ResponderExcluir
  12. Obrigado, Chica! Fico feliz em participar do teu lindo blog. Um beijáo. Dante

    ResponderExcluir
  13. Adorei a bicicleta do Zé. Toda esquisita, mas que fazia o Zé feliz. Eu me lembrei da inha bicicleta de infância.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥