♥ A RAPOSA VIDENTE ♥


( Cordel infantil)

Boa tarde meninos e meninas,
Sejam bem-vindos a esta escola.
Sentem-se em ordem e silêncio,
Pois contarei em forma de verso
Uma história acontecida
Com uma raposa muito esperta.

Cansada de só caçar coelhos
Dona Raposina vivia vigiando
Um galinheiro de um fazendeiro
Zeloso de sua propriedade.
Raposina arquitetava planos
Mas das galinhas, só o cheiro.

Um dia a natureza resolveu
Colaborar com dona Raposina
E fez desabar um forte temporal
Que arruinou o sólido galinheiro
Da fazenda do senhor Agostinho.
Derrubada a casa, as galinhas

Espalharam-se pelo denso matagal.
Sabedora do fato, Raposina resolveu
Que era hora de tirar de sua boca
Aquele gosto ruim de carne de coelho.
E foi para o mato em busca das galinhas
Já planejando o farto jantar que faria.

Caminhou, farejou e nada das penosas.
Cansada voltou para sua toca dizendo:
- Vamos aos coelhos porque ninguém
Neste mundo merece dormir com fome.
Amanheceu o dia e a procura continuou
A noite chegou e nada de galinhas.

Ouvindo a conversa dos outros animais
Raposina soube que as galinhas estavam
À procura do caminho para voltarem
À fazenda Três X de onde elas saíram
Na noite escura do grande temporal.
A raposa, agitada, bolava mais um plano.

Pensou muito e olhando em volta da toca
Viu uma tábua quadrada e teve a ideia:
- Já sei! Farei uma placa com os dizeres:
“Perdeu seu caminho? Raposina, a vidente
O encontra para você. Consulta grátis.”
E colocou a enorme tábua ao lado da toca.

Cansadas de caminhar sem rumo, as aves
Resolveram consultar dona Raposina.
E fizeram uma fila. Na frente ia Teodoro
O galo chefe cantando um, dois, três, quatro
Motivando pintinhos e galinhas mais velhas
A caminharem rápido. Era preciso chegar

Antes de a noite estender seu negro véu
E como sabem galinhas dormem cedo.
Enquanto isso na fazenda, Agostinho
Preparava seu mais forte e esperto cão
Para sair em busca de suas belas galinhas.
Subiram e desceram morros e nada viram

Até que o cão começou a farejar inquieto.
O fazendeiro soltou o animal com a ordem:
- Não me volte sem as minhas galinhas.
O cão Spartacus, em desabalada carreira,
Foi cumprir a ordem dada pelo patrão,
Mas no caminho encontrou a dona Paca:

- O amigo canino está neste mato perdido?
Não se preocupe Raposina, a vidente,
Achará seu caminho de volta. É só consultá-la.
Spartacus ficou intrigado com aquela história
E foi até a toca da raposa para averiguar.
- Ah, malandra! Então é assim que quer pegar

As galinhas do meu patrão, pois receberás
Tudo que mereces pelo engodo bolado.
Encontrando-se com as galinhas bem perto
Do consultório da raposa vidente
O cão expôs ao galo o seu plano.
E chegaram finalmente à toca de Raposina.

De lá de dentro vinha a voz fina e rouquenha:
- Entrem minhas belezas, minhas lindinhas.
Raposina, a vidente, sentada em uma pedra,
Tendo na cabeça um véu azul com estrelas,
Só via diante de seus olhos frangos e galinhas
Todos assados sobre a pedra em que sentava.

A saliva escorria pelo canto de sua bocarra
Quando o primeiro cliente entrou dizendo:
- Quero achar o caminho da fazenda.
Acordada do seu sonho de comer galinha
Ela deu de cara com o cão Spartacus.
Sabendo que na luta ela levaria a pior,

Raposina saiu em desabalada carreira
Deixando o véu e a placa de vidente.
Dizem os bichos que quando perguntam
Se ela ainda gosta de galinha assada
A resposta é que galinha não tem carne nobre
Como a dos coelhos que ela come todo dia.

Maria Hilda de Jesus Alão

12 comentários:

  1. Chica! Muito bem feito. Quis enganar, a raposa ficou enganada! Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Chica!
    Um bela lição. Os espertalhões sempre se dão mal no final.
    Beijos
    Gracita

    ResponderExcluir
  3. Que legal,e com moral dupla,*Não cobiçar os bens alheios,é mandamento e bela moral.*e olho por olho,dente por dente,se dais ,receberas o mesmo em troca,tentou enganar e foi enganada.
    Muito bom Chica.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Chica

    Adorei a a estorinha...Bem feito, quem manda ser gulosa.
    Deve estar correndo até agora.kkkk
    Beijos e um bom dia
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  5. De tão desesperada que a raposa ficou, deve ter se perdido e vai ter que ir na barraca do cão Spartacus, o vidente!!!
    Bjs do Nen

    ResponderExcluir
  6. Que maravilha de poema-história. Excelente lição de moral. Uma delícia a rapozinha.
    Beijos e uma ótima semana
    Lita

    ResponderExcluir
  7. KKKK...Muito engraçado cordel da Hilda!E a raposa vidente de turbante ficou o máximo!bjs,

    ResponderExcluir
  8. Uma longa história
    De uma raposa vidente
    Não conseguiu a vitória
    Por não ser inteligente.

    Vigiava o galinheiro
    Queria caçar as galinhas
    Mas o senhor fazendeiro
    Não gostava de suas gracinhas

    Com as suas arte manhas
    Até teve o temporal a seu favor
    Vindo das montanhas
    Vento forte destruidor.

    Na cabeça tinha um véu
    Das outras era diferente
    Viu as estrelas no céu
    Sem sorte Raposa Vidente!

    Boa segunda-feira e um abraço
    para você, amiga Chica.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  9. Chica: linda historia mas na minha aldeia as raposas ir mesmo a capoeiras das galinhas e levam sempre alguma delas, o cão a que foi esperto. Lindo adorei.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  10. Olá Chica, que história linda e que saudades do tempo em que eu contava histórias para os meus filhos! Um beijinho e tudo de bom. Ailime

    ResponderExcluir
  11. ¸.•°❤❤⊱彡
    Amei!!!
    Boa terça-feira!
    Beijinhos.
    °❤❤⊱彡

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde de terça feira!!

    Que a beleza que você tem seja sempre
    elogiada, pelo bons amigos e amigas que
    passam e deixam uma mensagem carinhosa
    Parabéns ser uma pessoa especial a todos e tenha
    sempre o carinho de minha amizade
    E que o dia dos namorados seja lindo a você
    Abraços
    Rita!!!!
    ¸.•°❤❤⊱彡

    ResponderExcluir

♥ ♥ ♥ Fico feliz de te ver aqui, falando comigo!beijos,chica ♥ ♥ ♥